Preloader image

SAT-CFe será obrigatório a partir de novembro

|
SAT-CFe será obrigatório a partir de novembro

Para simplificar uma série de obrigações dos estabelecimentos varejistas e possibilitar aos consumidores a localização mais rápida do documento fiscal no programa da Nota Fiscal Paulista, a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo adota o projeto SAT-CF-e (Sistema Autenticador e Transmissor de Cupons Fiscais Eletrônicos) que visa documentar, de forma eletrônica, as operações comerciais do varejo dos contribuintes do Estado de São Paulo. A novidade irá substituir os atuais equipamentos ECF (Emissor de Cupom Fiscal).

Para se adaptar, as empresas deverão adotar o SAT Fiscal, equipamento composto de hardware e software embarcado, que vai gerar e autenticar, por meio de Certificado Digital próprio, o Cupom Fiscal Eletrônico – SAT (CF-e-SAT) e transmiti-lo periódica e automaticamente à Secretaria da Fazenda (SEFAZ), via internet. A obrigatoriedade começa em 1º de novembro para os postos de gasolina e novos contribuintes do Estado de São Paulo.

Nessa transição, os varejistas poderão contar com o D-SAT, um lançamento da DIMEP que supre todas as exigências da nova obrigatoriedade. “Estamos trabalhando nesse equipamento há cerca de dois anos. Colocamos agora no mercado uma solução madura capaz de atender plenamente o consumidor”, conta o COO – Chief Operating Officer da Dimep, Klauber de Oliveira Santos. Tal empenho da companhia fez com que o hardware da Dimep seja, neste momento, o primeiro homologado do mercado. O D-SAT já possui a aprovação técnica do Instituto Nacional de Telecomunicações.

 

Vantagens

De acordo com Santos, as maiores vantagens desse novo sistema para o varejista é a redução de custos e a simplificação das tarefas.

“Imagine que as impressoras fiscais utilizadas hoje exigem manutenção e fiscalização e tudo isso tem um custo. Além disso, as próprias impressoras não podem ser descartadas, pois se tratam de material fiscal. Conheço grandes empresas que chegam a alugar grandes galpões apenas para armazenar esses equipamentos pelo tempo necessário. Com o D-SAT isso não é necessário, pois tudo é transmitido via internet. Ele não é mais um armazenador de dados. Todas as informações necessárias ficam na rede, no sistema back office da SEFAZ-SP”, conta ele.

Além disso, o especialista explica que o novo equipamento encerra a necessidade do tratamento das informações, que precisava ser feito por um profissional específico, antes de serem enviadas ao Fisco. “Tudo isso acaba. O equipamento gera todas as informações no formato correto para o envio, o faz online e em tempo real.  Considerando todas as vantagens, eu diria que as empresas de grande porte podem economizar entre R$ 2,5 milhões e R$ 3 milhões por mês. Muito tempo e dinheiro serão poupados nesse novo processo”.

O equipamento também não precisa de manutenção. “Este é um aparelho inviolável, preparado para não dar problemas. Claro, podem acontecer alguns imprevistos. Se um raio cai na rede elétrica e danifica o equipamento, por exemplo, vamos lá e trocamos por outro”, conta. Santos ainda explica que “Tal modelo é para evitar fraudes. Se alguém tentar abrir esse aparelho ele se autodestrói, queimando os chips internos. Neste momento, o equipamento envia ainda uma mensagem para a SEFAZ-SP informando sobre a tentativa de violação”.

O equipamento D-SAT custará 60% do que custa atualmente uma impressora fiscal.




Fonte: http://www.dimep.com.br/blog/d-sat/sat-cf-sera-obrigatorio-partir-novembro/